Soja

Plantio de soja chega à reta final no Rio Grande do Sul


Globo Rural - 17 dez 2018 - 10:21

Os produtores do Rio Grande do Sul já plantaram 97% dos cerca de 5,9 milhões de hectares de soja previstos para esta safra. O cálculo é da Emater/RS-Ascar, órgão do governo gaúcho responsável pela assistência técnica e extensão rural.

Segundo os técnicos, na região Planalto a cultura foi totalmente implantada. No Sul do Estado o plantio atingiu 85% da área prevista e agora está paralisado, devido à falta de umidade no solo. “Nesta região há um incremento de área de 7,3% e a cultura apresenta boa germinação, emergência e estande de plantas”.

Eles observam que no geral, as lavouras semeadas no período de final de outubro e início de novembro apresentam stand irregular de plantas.

Conforme os relatos de campo, no Norte do Estado as áreas replantadas com soja apresentam germinação desuniforme devido à baixa umidade do solo. As sementes que não germinaram estão sadias, necessitando apenas condições ideais de umidade. Uma vez que o período foi seco, a preocupação dos produtores é a falta de umidade do solo, aliado à alta insolação e ao vento seco, que dificultam a germinação dessas lavouras recém-plantadas e a finalização do plantio de soja desta safra.

Milho

O levantamento de campo constatou que as lavouras de milho estão em bom desenvolvimento até o momento e o plantio atinge 93% dos 738.074 hectares previstos para esta safra no Estado. “Deste total, 5% da área está pronta para a colheita, iniciando nos próximos dias, 24% das lavouras estão em enchimento de grãos, 23% em floração e 41% das áreas, em germinação e desenvolvimento vegetativo”.

Em todo o Estado, o milho está em estádio reprodutivo e com alta demanda hídrica. Entretanto, com a falta de chuva, muitas lavouras em desenvolvimento vegetativo e floração começam a apresentar sintomas de folhas murchas e secas nas pontas, com perspectivas de reduzir a produtividade esperada, caso não volte a chover.

Trigo

A safra do trigo foi concluída no RS, com redução em 17,9% (2.760 kg/ha) na região Norte. Foram realizadas 474 perícias de Proagro nesta região em virtude da quebra de safra pelo excesso de chuvas. Obteve-se produção de trigo com variação de pH entre 72 e 76.