Negócio

Preços do petróleo caem mais de 5,5% por temores de desaceleração econômica e superávit


Reuters - 19 dez 2018 - 12:19

Os preços do petróleo recuaram mais de 5,5% nesta terça-feira (18), fechando em queda pela terceira sessão consecutiva, conforme o mercado digere notícias de que a oferta norte-americana continuará a aumentar, mesmo que a demanda diminua devido à desaceleração do crescimento econômico global.

Os futuros do petróleo dos Estados Unidos (WTI) fecharam em queda de US$ 3,64, ou 7,3%, a US$ 46,24 o barril, sua mínima desde agosto de 2017. A mínima da sessão foi de US$ 46,11 por barril.

Os preços do WTI vêm caindo de forma consistente desde o começo de outubro. No dia 03 de outubro – último pico antes da tendência atual começar a se consolidar – o barril estava cotado a US$ 76,41. A queda acumulada já chega a 39,5%.

Os futuros do petróleo Brent perderam US$ 3,35, ou 5,62%, terminando a US$ 56,26 por barril. Durante o dia, o Brent atingiu uma mínima em 14 meses de US$ 56,16.

As duas referências ampliaram as perdas durante as negociações pós-fechamento.

Os índices acionários mundiais registraram movimento positivo, já que os investidores focaram sobre se o Federal Reserve conseguirá aumentar muito mais as taxas de juro dos EUA. Os mercados acionários tiveram perdas acentuadas nos últimos dois meses.

A confiança dos investidores está se deteriorando, com mais administradoras de fundos esperando que o crescimento global se enfraqueça nos próximos 12 meses, a pior projeção em uma década, mostrou uma pesquisa com investidores de dezembro feita pelo Bank of America Merrill Lynch.

“Houve uma inundação de notícias no lado da oferta ontem que, combinada com a destruição da demanda implícita pela queda dos mercados de ações, nos levou a menos de US$ 50 (pelo barril nos EUA), e isso nos deu um forte sinal para venda”, disse Bob Yawger, diretor de futuros da Mizuho.

Com adaptação BiodieselBR.com

Tags: Petróleo